Bagagem de viagem | Guia completo sobre mala de mão e mala despachada

Você sabe o que levar na sua bagagem de viagem? Qual o limite de peso? E o tamanho da mala de mão? Essas e outras dúvidas costumam surgir durante o planejamento de uma viagem, especialmente para quem vai viajar de avião.

As regras e especificações sobre as bagagens acabam gerando questionamentos sobre o que é ou não permitido. Reunimos aqui um guia completo para você se preparar para fazer uma viagem organizada e sem contratempos. Quer ficar por dentro de tudo? Continue a leitura.

Tipos de bagagem

Para uma viagem de avião, você pode levar dois tipos de bagagem: a de mão e a despachada. Os limites podem variar de acordo com a companhia aérea, aeronave e destino, mas existem regras básicas e é sempre bom estar de olho nelas.

Alguns itens específicos só podem ser despachados, já outros recomenda-se que sejam transportados na mala de mão. Por isso, é muito importante estar atento às diferenças entre os tipos de bagagem, confira abaixo:

1. Bagagem de mão

A bagagem ou mala de mão é aquela permitida no espaço em cima das cabines e ela precisa estar dentro das dimensões aceitas por cada companhia aérea. Segundo a Anac (Agência Nacional da Aviação Civil), o peso máximo permitido é de 10 quilos e se ultrapassado, poderá haver cobranças pelos quilos excedentes. Em voos domésticos, a bagagem deve ter medidas máximas de 35 x 25 x 55 cm (comprimento x largura x altura), já incluindo alças, bolsos e rodinhas.

O principal diferencial é que ela pode ser levada junto do passageiro, sendo de responsabilidade do próprio. Além disso, as companhias aéreas também permitem mais um item pessoal, podendo ser uma mochila ou uma bolsa, que será transportada embaixo do assento do passageiro.

Todas as informações definidas pelas companhias, estão obrigatoriamente descritas no contrato de transporte. Porém, é importante se atentar ao limite de tamanho e peso, pois as companhias criaram um filtro no acesso das salas de embarque em que os fiscais verificam as dimensões das bagagens de mão de todos os passageiros. Caso sua bagagem não esteja dentro dos padrões, você poderá ser impedido de embarcar e orientado a retornar ao balcão de check-in para realizar o despacho.

Depois, no momento do embarque e na chegada a outros países, ela passa por raio-X e pode ser inspecionada pela polícia. Vale destacar que: dinheiro, documentos, aparelhos eletrônicos, joias e demais itens de valor, jamais devem ser despachados – e a bagagem de mão é um bom lugar para guardá-los, desde que ela esteja sempre com você.

2. Bagagem despachada

Bagagem ou mala despachada são aquelas maiores, que vão no bagageiro do avião. Elas são entregues na hora que você faz o check-in no aeroporto de embarque e são devolvidas ao passageiro no destino.

Quando o passageiro despacha a mala, recebe um comprovante que deve ser guardado para conferência ou no caso da mala se extraviar (não chegar no destino). Chegando ao aeroporto de destino, o passageiro deve ir à esteira de seu voo e aguardar sua mala. Quando ela chegar, o mesmo deverá conferir a etiqueta com o seu nome, pois pode haver malas iguais à sua.

Uma boa opção para identificação de malas é utilizar adesivos, plásticos ou etiquetas de viagem com seu nome e telefone, pois são boas formas de evitar a troca de malas.

Onde pegar a mala despachada em voos com conexão?

Apesar de ser uma dúvida muito comum, não há uma regra fixa para a mesma. Na hora do check-in, a companhia aérea informa ao passageiro onde ele irá retirar sua bagagem. Normalmente é no aeroporto do destino final, mas há casos em que se retira na conexão para se despachar novamente.

Vale destacar que nos voos com chegada ao Brasil, geralmente o passageiro retira a mala no primeiro aeroporto, por conta da fiscalização alfandegária e despacha mais uma vez.

Para casos em que o passageiro faz troca de aeroporto, o mesmo fica responsável por retirar a bagagem na conexão e transportá-la até o aeroporto de onde sairá o próximo voo para despachá-la.

É possível despachar malas grátis?

Antes de entrarmos nesse assunto, é preciso deixar claro que existem várias classes de tarifas e cada uma delas tem preços e benefícios diferentes.

Geralmente, as tarifas mais baratas, especialmente as promocionais, são mais restritas e não dão direito a malas despachadas, que precisam ser pagas à parte. As tarifas mais caras, podem oferecer esse serviço e outros benefícios, como marcação de assento e a possibilidade de trocar a data do voo sem custo – as regras mudam de acordo com cada companhia.

Na hora que for reservar sua passagem, confira se vale a pena optar pela mais barata ou por uma superior, pois às vezes ao incluir a bagagem ou outro serviço o preço fica mais caro. É fundamental também comparar o que cada companhia oferece, pois a passagem um pouco mais cara em uma empresa aérea pode incluir mais benefícios.

Qual o limite de peso e quais malas podem ser despachadas?

Tais questões são relativas dependendo da companhia aérea e da classe tarifária da sua passagem. Se não tiver visto na hora da compra, essa informação estará em sua reserva ou no site da companhia. Se não encontrar, você pode ligar para sua companhia ou para a agência de viagens para verificar. De uma forma geral:

Voos nacionais – Geralmente, as passagens promocionais ou mais baratas não incluem o despacho de bagagem. Caso precise despachar uma ou mais malas, o passageiro terá de comprar à parte ou optar por uma tarifa mais cara, que inclua a bagagem.

Fique atento na hora que comprar a passagem, e se possível já adquira a tarifa com despacho da bagagem incluso, pois geralmente é mais barato. Se você comprar a tarifa que não inclui bagagem e decidir utilizar o serviço posteriormente, adquira o serviço o quanto antes, pois o custo será menor.

Voos internacionais – Não existe uma franquia mínima de bagagem despachada por lei, mas algumas companhias aéreas permitem que o passageiro despache uma ou até duas malas sem custo adicional, dependendo da classe da passagem.

Em geral, a regra é que os bilhetes mais baratos ou promocionais não ofereçam a bagagem, que deve ser comprada à parte, enquanto as tarifas, vale consultar a companhia pela qual se vai viajar antes de ir ao aeroporto para evitar surpresas desagradáveis. A dica de adquirir a tarifa que já inclui bagagem ou adicionar a franquia o quanto antes também é válida nesta opção.

Que objetos podem ser levados em voos nacionais?

Por motivo de segurança não podem ser levados armas (ou réplicas) de qualquer tipo; objetos pontiagudos, cortantes ou de ponta arredondada que possam ser usados para causar ferimentos; substâncias explosivas ou inflamáveis, químicas ou tóxicas que possam colocar em risco a integridade física de pessoas ou a segurança do avião.

Essa é a norma brasileira, em voos internacionais outros itens são proibidos na sua bagagem. Leia as normas vigentes do país de destino ou consulte a empresa aérea antes do embarque.

Além dos itens citados acima, existem restrições para levar líquidos de toda natureza na mala de mão, inclusive gel, pasta, creme, aerossol e similares. Eles só podem ser conduzidos da seguinte forma:

• Em frascos com capacidade de até 100 ml e colocados em embalagem plástica transparente, vedada, com capacidade máxima de 10 frascos totalizando 1 litro, não excedendo as dimensões de 20 x 20 cm;

• Líquidos em frascos acima de 100 ml não podem ser transportados, mesmo se o frasco não estiver cheio. A fiscalização costuma ser rígida e você poderá perder o frasco.

• Os frascos devem ser adequadamente acondicionados (com folga) dentro da embalagem plástica transparente, completamente vedada (estilo ziploc);

• A embalagem plástica deve ser apresentada na inspeção de embarque de passageiros, sendo permitida somente uma embalagem plástica por passageiro.

• Líquidos, remédios e aerossóis podem ser levados em voos no território nacional, a restrição a eles vale somente para voos internacionais.

Essas restrições se aplicam também ao passageiro que apesar de realizar um voo nacional, tenha seu embarque realizado em área destinada a embarque internacional. Lembre-se: em caso de conexão em outros países, a empresa aérea deverá informar o passageiro sobre a possibilidade de retenção ou não da embalagem.

O animal de estimação pode ir no avião?

O transporte de animais domésticos (cães e gatos) na cabine de passageiros fica a critério da empresa. Caso seja aceito, o transporte deverá ser feito em compartimento apropriado, sem causar desconforto aos passageiros e ao animal. Consulte a companhia aérea com antecedência.

Além disso, é preciso apresentar atestado de sanidade do animal fornecido pela Secretaria de Agricultura Estadual, Posto do Departamento de Defesa Animal ou por médico veterinário. O transporte também pode ser feito no compartimento destinado a carga e bagagem, como o peso do animal não poderá ser incluído na franquia de bagagem do passageiro, será cobrado um valor adicional.

Como falamos acima, as regras para bagagem em viagens são muitas e variam de acordo com cada empresa, mas vale sempre conferir essas dicas antes de viajar, não é mesmo?

Está procurando mais dicas para sua viagem? Confira nosso blog e fique por dentro de tudo. Conheça também o Vacation Club Beach Park e todas as nossas vantagens para suas férias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *